CACHORRO-CORONAVIRUS-ANIMAL

Corona Vírus: COVID-19 NÃO É TRANSMITIDO POR CACHORROS E GATOS

Tempo de leitura 6 minutos

Desde que o COVID-19 chegou ao Brasil, a busca por informações a respeito do contágio por animais domésticos aumentou muito e muitas informações equivocadas e ambíguas estão sendo divulgadas.

De pronto, respondo que não há qualquer evidência de que cães e gatos possam ser infectados pelo COVID-19, bem como possam transmiti-lo para humanos. Entretanto, não é por isso que vamos deixá-los em ambiente contaminado.

Recentemente li uma matéria que está sendo amplamente divulgada de que os pets pegam coronavirus, mas que os seus sintomas são diferentes, semelhantes a uma parvovirose e fim. A matéria limitava-se a essa informação. Para um veterinário, essa informação não tem nada de errada. Para tutores, que não tem conhecimento de que o coroavirus têm diversas “versões” essa informação pode ser um problema.

O Coronavírus é  na verdade um grupo de vírus comum entre os animais. Em casos muito raros, ele é o que os cientistas chamam de zoonótico, que pode ser transmitido de animais para seres humanos, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças.

Logo, existem vários tipos de coronavirus, tem coronavirus bovino, felino, canino, de galinha, diversos coronavirus em morcegos e em seres humanos, entre outros. Cada tipo de coronavirus tem um conjunto específico de sintomas para os seus hospedeiros.

CORAVIRUS CANINO E FELINO

Nos cachorros, o coronavírus pode aparecer de duas formas: uma com manifestação respiratória e outra entérica – essa última mais comum e que causa um quadro de diarreia.

É importante salientar que essas duas formas de coronavirose canina são prevenidas por meio da vacinação anual, a V8 ou V10.

Já os felinos também têm seu coronavirus próprio (FCoV), que pode causar a Peritonite Infecciosa Felina, a PIF. A doença é encontrada em praticamente todo o mundo e, infelizmente, até o momento, não existem vacinas para prevenir o FCoV.

Em resumo, nos pets o sistema gastrointestinal é acometido, o que é muito semelhante a parvovirose, causando sintomas completamente distintos dos coronavirus humanos.

Esses tipos de coronavírus que acometem pets não são transmissíveis aos humanos e não têm relação com o covid-19.

 

O COVID-19 FOI TRANSMITIDO POR ANIMAIS?

Ainda é cedo para fazer afirmações a respeito do COVID-19, o que se sabe é que é uma doença zoonótica, como a SARS (síndrome respiratória aguda grave) e que o surto iniciou-se, aparentemente, no mercado de Wuhan, na China, o qual contava com uma seção de animais silvestres, onde eram vendidos animais vivos ou abatidos.

Assim que os cientistas decifraram o código genético do novo coronavírus, os morcegos se tornaram os principais suspeitos, seja por transmissão direta aos humanos ou por meio de um animal infectado (um intermediário).

O que se pode afirmar até o momento é que do morcego – ou outro hospedeiro intermediário, para o humano o COVID-19 é uma zoonose, mas somente nesta hipótese.

Os animais domésticos, gatos e cachorros, não contraem ou transmitem covid-19.

 

E O CASO DO CÃO DE HONG KONG?

Qualquer animal que esteja em um ambiente com extrema contaminação pode apresentar o vírus no organismo. Temos que tomar cuidado com a desinformação.

Quando tivemos o surto da SARS em 2003 alguns animais que estavam em ambientes contaminados apresentaram teste positivo para doença, apesar de não desenvolverem nenhum tipo de sintoma, bem como, não tivemos casos de animais domésticos transmitindo a doença para humanos, e vice e versa.

Sendo assim, a respeito do caso em questão, sigo o que a Dra. Shelley Rankin, microbiologista da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia, Filadélfia, afirmou em uma matéria recentemente publicada no jornal Science:

“No momento, não há pesquisas para apoiar a disseminação humano a animal. Amostras do cão de Hong Kong tinham um pequeno número de partículas virais presentes. Em um animal sem sinais clínicos de doença, é difícil dizer o que isso significa. Foi um caso único e aprendemos que precisamos fazer muito mais pesquisas sobre o potencial do vírus humano SARS-CoV-19 para infectar animais.”

https://www.sciencemag.org/news/2020/03/quarantine-cat-disinfect-dog-latest-advice-about-coronavirus-and-your-pets

Cuidados gerais

Estamos diante de um vírus de baixa taxa de mortalidade (comparado ao seu antecessor, SARS), mas alta virulência.

Tosse, espirro, beijos ou abraços podem causar exposição. O vírus também pode ser transmitido ao tocar em algo que uma pessoa infectada tocou e depois em sua boca, nariz ou olhos, e é aí que surge o problema.

Pense bem, se uma pessoa infectada espirrar na mão, fazer carinho no cachorro e, depois outra pessoa entrar em contato com aquele cachorro o que pode acontecer? Bem, se essa pessoa colocar a mão na boca, olho ou nariz, há grande chance de contágio. Exatamente como pode acontecer com maçanetas e balcões.

Ainda, esse cachorro poderá sim apresentar o vírus no seu organismo, uma vez que ele pode lamber o próprio pelo ou um ambiente contaminado, o que não significa que ele apresentará sintomas.

O PET NÃO ESTARÁ TRANSMITINDO COVID-19, mas sendo um meio de transmissão, carregando vírus pelo ambiente.

É uma questão de higiene básica, se a pessoa não entender que deve usar máscaras, luvas e manter a distância adequada de outros seres vivos, não só o pet dela como toda a casa será um ambiente com alta carga viral.

Para quem está com a doença, o contato com o animal deve ser evitado, sem os famosos lambeijos. Atualmente, os pets são como um integrante da família, sendo assim, o interessante seria deixá-lo em um hotel para animais ou aos cuidados de outra pessoa durante o período de quarentena do tutor, assim, evitamos que o pet carregue o vírus por todo o ambiente familiar.

Caso não tenha essa possibilidade, é importante passar álcool em gel sempre que for brincar com eles, mexer em ração, brinquedos ou petiscos.

Os passeios não ser cortados, por uma questão de bem estar animal – algo que não devemos esquecer, sendo assim, escolha os horários de menor movimento nas ruas, bem como evite locais aglomerados, e use produtos de higiene animal nos pelos e patas antes e depois do passeio.

 

Creches e pet shops devem ser evitados?

Não vejo motivo para evitar esses locais. O importante é a quarentena respeitar a quarentena, então se estiver doente, deixe outra pessoa passear com o pet, levá-lo ao veterinário ou creche. Assim evita a contaminação humana.

Esses locais costumam ter protocolos de limpeza e desinfestação melhor que o doméstico, exatamente para diminuir riscos de contágios de doenças entre pets e colaboradores.

É essencial verificar que o local que você levando o seu pet é limpo e mantém um protocolo de higiene entre clientes, pets e colabores.

Na situação em que estamos, os banhos são essenciais, afinal, o vírus não gosta da limpeza.

A recomendação para as creches de cachorro é a mesma, não há contágio de covid-19 entre cães, logo, não há motivo para evitar. É importante apenas diminuir ao máximo a proximidade com humanos, para isso, a tecnologia ajuda muito.

 

Daniele Zurita  Perrella

CRMV. 39807

 

Valéria Rossi

CRMV. 37203

filhote de cachorro

GUIA DEFINITIVO de como cuidar do seu filhote de cachorro

Tempo de leitura 14 minutos

 

Você analisou, pensou, comentou com amigos e finalmente decidiu:

-Vou ter um filho de quatro patas!

…Ou você ainda está só pensando em ter um filhotinho andando pela casa…

Bom, em qualquer dessas hipóteses, esse guia é para você que precisa saber como cuidar desse cãozinho recém-nascido que está ou vai estar na sua casa.

Assim como um bebê, existem cuidados especiais que você precisa ter com o seu filhote de cachorro, prezando sempre pela segurança dele.

Mas fique calmo! Podemos garantir que os lambeijos vão compensar as horas de aprendizado e dedicação que você disponibilizou por ele.

Separe o papel e caneta ou abra o bloco de notas do celular.

Vamos começar!

Como preparar a casa para receber o filhote de cachorro?

Faça alguns ajustes na sua casa

  • Retire objetos que podem ser quebrados, mastigados ou comidos – tenha imaginação fértil nessa hora, pois na hora de morder, qualquer coisa é lucro!
  • Cubra todos os fios elétricos;
  • Guarde os produtos químicos e de limpeza dentro de armários fechados e, preferencialmente, bem longe do chão;
  • Use um cesto de lixo alto e pesado o suficiente para que seu filhote não consiga derrubá-lo;
  • Tenha uma atenção redobrado com chinelos e sapatos fora do lugar, são os preferidos!

Compre ou faça uma caminha

Nós sabemos o quanto seu filhote é a coisinha mais fofa e perfeita do mundo e fica muito triste quando está

filhote cachorro dormindo

Soneca em cama dupla do Harry

longe de você, ainda mais nos primeiros dias.

Mas não permita que ele durma na sua cama

– nada pessoal!

Só que a longo prazo há uma grande tendência desse costume fazer muito mal para seu pet, desencadeando doenças como a síndrome de separação.

Além disso, já pensou se você tem que ficar uns dias fora, como ele vai conseguir dormir?

Por isso, é importante que ele tenha  a caminha dele ou uma casinha, a qual deve ser confortável e própria para o tamanho dele – ou que ele possivelmente vai ficar.

Tenha mantinhas e cobertores para dias frios.

Ah, você também pode fazer uma caminha, viu? No Google, Youtube, Instagram e Pinterest tem várias dicas de como fazer uma caminha com coisas que você tem em casa, sem gastar nadinha!

Dê espaço para o seu filhote

O seu filhote de cachorro precisa de espaço para brincar, correr, ‘ir ao banheiro’.

Assim, deixe que o filhote fique bem confortável, mantendo-o em um local livre de objetos pequenos (eles podem sumir e magicamente aparecer dentro da boca do seu cãozinho, CUIDADO!).

Se você não quer que seu filhote circule por todos os espaços da casa, use cercadinhos para ensinar qual o lugar dele em um determinado cômodo.

Compre duas tigelas: uma para servir a comida e outra para a água

No mercado pet tem uma infinidade de tipos de comedouros e bebedouros. Opte por aqueles que sejam funcionais para as necessidades do seu cachorro.

Além disso, evite objetos que possam ser estragados facilmente, como potes plásticos.

Dê brinquedos de filhote

Quando seu filhote chegar em casa, você não vai demorar muito para perceber o quanto de energia ele tem para queimar.

Assim, escolha brinquedos que sejam educativos e prendam a atenção do seu pet.

É importante que os brinquedos sejam firmes o suficiente para que seu filhote de cachorro não consiga morder e engolir parte dele.

Não dê ossos de couro como brinquedos!

Peguei o filhote… e  agora??

Lembre-se que o filhote só pode ser adotado após o desmame completo. Não importa o quão fofinho e independe ele seja.

Ele precisa ficar com a mãe no mínimo por um período de 45 a 60 dias após seu nascimento.

Levando ao veterinário

Primeiro, é extremamente importante que você tenha um veterinário de confiança para avaliar a saúde do seu amiguinho.

Não fique restrito à indicação de amigos e parentes, procure informações a respeito do vet, bem como comentários de outras pessoas.

O Vet é quem vai aplicar a primeira dose da vacina – caso ele ainda não tenha recebido, e prescrever o vermífugo.

Microchipagem, precisa?

Esse é um assunto controverso. Nós recomendamos a microchipagem pois é uma das formas de identificar seu cachorro em caso de fuga, perda ou roubo. Entretanto essa forma não substitui a plaquinha de identificação, ok?

Isso porque não são todas as pessoas que pensam em levar o pet perdido em algum lugar para verificar se ele tem ou não um microchip, OU SEJA, em uma situação como essa, ele perderia a sua utilidade.

Assim, se optar por colocar o microchip, pense em uma forma de informar as pessoas que ele tem essa identificação.

Como alimentar um filhote?

O seu filhote é um ser único e, como tal, deve ter uma alimentação adequada e especializada para atender as

filhote cachorro comida

Filhotes comendo

necessidades básicas dele.

O veterinário é quem pode te auxiliar na escolha do tipo de alimentação, vitaminas e produtos usados.

É importante saber que, se o filhote já vinha se alimentando com algum tipo de comida que não o leite materno, você deve continuar com essa alimentação e alterá-la, se desejar, de modo gradual, evitando vômitos e diarreias.

Tipos de alimentação

Muitas pessoas acham que a alimentação seca é o único tipo de alimento para cachorro que existe, mas isso é um engano. Existem, basicamente, dois tipos de alimentação:

  1. Alimentação Natural (AN): nesse tipo de alimentação, o cão come comida cozida e sem osso ou comida crua com ou sem osso. Essa alimentação está ficando cada vez mais conhecida entre tutores, sendo muito indicada por nutricionistas pet. ATENÇÃO: AN não é resto de comida!
  2. Ração seca: a ração seca ainda é o tipo de alimento mais escolhido pelos tutores. Não só pelos ganhos nutricionais, como também pela facilidade de colocar o alimento à disposição do animal.

A recomendação geral é que você compre comida específica para filhotes sem corantes, aromatizantes ou conservantes.

Quantas vezes ao dia o filhote deve comer?

A quantidade da porção de comida é sempre calculado em gramas. A porção deve levar em conta a raça, tamanho e idade do seu filhote.

Já a quantidade de vezes que ele vai comer por dia, dependerá da idade dele. Se ele tiver:

  • De 6 e 12 semanas deve comer de três a quatro vezes ao dia;
  • De 12 e 20 semanas deve comer três vezes ao dia;
  • com mais de 20 semanas deve comer duas vezes ao dia;

Não cometa estes erros

  • Deixar a comida disponível o dia inteirinho para o filhote comer a hora que desejar

Ainda que você trabalhe fora e seu filhote de cachorro passe a maior parte do dia sozinho, estabeleça uma rotina de alimentação. Ele deve comer nos horários que você definir.

Por isso, sirva a comida e deixe disponível por no máximo 20 minutos. Então, retire o prato e sirva somente no próximo horário que ele for comer.

  • Dar restos de comida para seu pet

Por mais vontade que você ache que seu filhote está passando, não o acostumar a comer o que você está comendo.

Primeiro, porque existem diversos alimentos humanos que são completamente proibidos para o seu cãozinho, uma vez que podem até causar a morte dele.

Segundo porque esses alimentos podem deixar o seu filhote obeso.

Terceiro e último porque esse é um hábito muito difícil de controlar quando ele ficar mais velho, fazendo que você passe situações constrangedoras, principalmente com visitas.

Como fazer isso?

De forma triste e simples. Ignore completamente aqueles olhinhos fofos olhando para você enquanto está se alimentando.

No começo vai ser difícil e você vai sentir a pior pessoa do mundo, mas o seu cachorro é muito inteligente e vai aprender rapidinho que não adianta pedir!

Além disso, se você nunca oferecer nada além do que está na dieta dele, ele não vai ter como saber o gosto, logo, não tem como sentir vontade de algo que nunca se comeu.

  • Não disponibilizar água fresca ou deixar o pet sem água por longos períodos

Diferente de você, o seu cachorro não tem como pegar um copo de água sempre que sentir sede, por isso, é muito importante que você disponibilize água fresca para ele em tempo integral.

Como cuidar da saúde do seu filhote de cachorro

Deixe-o em lugares limpinhos

No início, é comum encontrar xixis e fezes em diversos lugares da casa.

Nunca deixe essas sujeiras por muito tempo no local, pois isso pode transmitir doenças e bactérias para seu filhote.

Evite locais públicos enquanto ele não estiver com as vacinas completas

A melhor coisa do mundo de um filhote é poder levá-lo no colo para diversos lugares. Entretanto, se ele não estiver com as vacinas completas, NÃO FAÇA ISSO!

Isso porque o seu filhotinho é muito sensível e existe uma infinidade de doenças que podem ser transmitidas para ele até mesmo pelo simples fato de estar em um ambiente contaminado. Então, muito cuidado.

Aproveite a pouca idade para fazer a castração

Nesse texto aqui nós explicamos para você a importância da castração, tanto para seu pet quanto para você mesmo.

infográfico vantagens de castrar cachorro

Infográfico com as vantagens de castrar o cachorro

Pois bem, converse com seu vet para realizar a castração do seu filhote na melhor idade – muitos vets recomendam fazer isso com 6 meses de idade.

Se você estiver situado no município de Santo André, pode fazer a castração gratuita, basta seguir alguns passos simples.

Saiba que, quanto antes você castrar o seu filhote de cachorro, mais chances o seu pet de desenvolver hábitos indesejados, como marcação a território.

Atenção nas atividades físicas e mentais

Se você acompanhar nossos artigos sobre raças, vai notar que cada cachorrinho necessita de um nível diferente de exercício, entretanto, indiscutível é que todos precisam de um mínimo de atividades.

É muito importante que você conheça o seu filhote para não pecar na quantidade de atividade.

  • Evite exercícios pesados ou brincadeiras excessivas quando seu cão estiver cansado.
  • Não faça atividades intensas com ele após as refeições. Corridas exageradas durante a digestão da comida pode causar graves problemas de saúde.

Xiiii, hora da higienização

Uma coisa é fato. Raramente o seu cachorrinho vai curtir esses momentos de higienização. Mas não é por isso que você deve deixar de fazer, tá bem?

Pentear os pelinhos

Seja pelinhos curtos ou longos, os pelos devem ser escovados T-O-D-O-S os dias.

filhote cachorro peludo

Filhotinha Amora

Todo dia? Sim! Todo dia. Nós não penteamos os cabelos todos os dias?

O principal objetivo da escovação, além de evitar nós em cachorrinhos de pelos longos, é que você possa observar problemas de pele.

O seu pet pode ser picado por algum bicho ou desenvolver alergias e, quantos antes você notar, mais rápido e “barato” será o tratamento.

Como fazer a escovação?

  • Adquira uma escova própria para cachorros, de uso doméstico;
  • Não escove com muita força, pois você pode machucar ele;
  • Escove-o por completo, incluindo as patinhas;
  • Se o pelo estiver muitooo embaraçado, conte com o auxílio de um profissional;

Corte as unhas

Cortar as unhas do seu pet pode ser uma tarefa um pouco complicada, por isso, deixe esse cuidado para um momento em que seu cachorro estiver tranquilo e você tiver bastante tempo disponível.

  • A técnica exige que você use o material adequado, bem como saiba como executar.
  • Comece cortando somente as pontinhas, até que você tenha mais segurança.
  • As unhas devem ser aparadas semanalmente, já que unhas longas demais machucam as patinhas do pet (dói para caminhar) além de arranhar pisos, móveis e até mesmo você.

Vamos escovar os dentes?

Os dentinhos do seu filhote de cachorro devem ser escovados com pasta e escova específicas para animais.

Também têm alguns brinquedos que, ao mastigar, fazem esse trabalho da escovação. Bem como petiscos que mantêm a saúde bucal.

O mais importante é que você o acostume com a escovação desde pequeno, pois a remoção de tártaros é um procedimento cirúrgico que exige cuidados especiais.

Logo, evite essa fase!

Preciso levar no banho e tosa?

Bom, essa resposta é muito pessoal. É preciso que você avalie quais são as suas condições para realizar

filhote cachorro banho

Atenção aos banhos

banhos domésticos.

Certo é que os lugares especialmente destinados aos cuidados de cachorro têm todo um aparato e equipe de profissionais preparada para receber o seu filhote.

Além disso, em um único lugar, você resolve basicamente tudo que deve ser feito com seu cachorrinho: banho, corte de unhas, limpeza de ouvidos, entre outros.

Caso você opte por levá-lo ao banho e tosa, certifique-se de que o local tem boas recomendações e profissionais capacitados.

Procure também agendar o serviço nos dias de menor movimento, assim seu pet não fica estressado e nem espera muito tempo para ser atendido.

Vou dar banho em casa, como faço?

Os banhos domésticos exigem cuidados especiais:

  • Use um shampoo especifico para cachorro. No mercado pet tem muitos produtos disponíveis, procure aqueles compatíveis com os pelinhos e idade do seu pet.
  • Use água morna. A água muito quente ou fria demais pode fazer o seu pet associar o banho a uma coisa ruim, fazendo com que ele dê bastante trabalho.
  • Proteja os ouvidos com algodão à prova d’água.
  • Seque seu cachorro com vento de morno a frio, para evitar queimaduras.
  • Deixe o cachorro bem sequinho. Se você deixar seu cachorro úmido ele pode desenvolver problemas de pele, ter queda de pelos ou até mesmo ter fungos.

Eduque seu filhote

Xixi no lugar certo

Assim que seu cachorrinho chegar ao novo lar, mostre a ele qual o lugar de fazer suas necessidades básicas.

Adiantamos, o trabalho é árduo e não vale desistir.

Use brinquedos e petiscos para facilitar o treino. Sempre que ele fizer o xixi no local correto, dê muito carinho e petiscos.

Não demore para começar esse treinamento, caso contrário, com o passar do tempo, mais difícil será para ele aprender.

Hora da escola

Você já ouviu falar de creche para cães?

As creches são locais que desenvolvem trabalhos específicos para cachorros. Lá, o seu filhote entra de manhã e sai no final da tarde.

filhote cachorro creche

Filhotinha Lolita

Benefícios da creche:

  • Socialização com outros pets.
  • Aprendizado de regras comportamentais.
  • Enriquecimento ambiental.
  • Desenvolver habilidades do seu filhote.
  • Prática de atividades físicas.
  • Cuidados com a saúde

Sentar, rolar e deitar

Ahh, é tão fofinho um cão educadinho, não é mesmo?

Então aproveita que seu filhotinho está cheio de energia e ensine a ele os comandos básicos de sentar, deitar, rolar, ir para caminha, entre outros de sua preferência.

Qualquer cachorro é muito inteligente e, com um treinamento positivo, pode aprender rapidamente.

 

Ficou com alguma dúvida? Isso é bom sinal. Deixe nos comentários abaixo e nós te responderemos jajá.

Se você gostou deste guia, não esqueça de compartilha-lo em suas redes sociais.

Ah, não esquece de seguir nossa página do instagram 😉